Comando ps

comando ps

O comando ps é um verificador de processo.

Esse comando vê os processo que estão em execução no sistema, desta forma você será capaz de analisar os processos e até mesmo finalizá-los quando for conveniente ou se por algum acaso do destino esses programas que estão sendo executado nos bastidores sem você saber que ele estão lá, venha apresentar mal funcionamento.

[caption id="" align="aligncenter" width="400"]O comando ps serve para ver o estado dos processo em execução ps[/caption]


O comando ps  sem parâmetros só mostra o que acontece no shell em que estou usando. Para fazer uma consulta um pouca mais detalhada use o comando com parâmetros.

[caption id="" align="aligncenter" width="400"]Exemplo do comando ps au ps -au[/caption]

Notou a diferença, viu que apareceu um monte de informação, como eu havia dito no início do blogger eu não vou entrar em detalhes técnicos pra isso existe o manual, mais da pra ter uma noção de como funciona as coisas no linux.

Para ver o manual digite man ps.

Manpages man ps

Para se movimentar use as setas.


Lembrete: sempre que precisar limpar a tela digite clean ou Crtl+l.



Nome


ps – comunicar um instantâneo dos processos atuais.

Sinopse


ps [opções]descrição


ps exibe informações sobre a seleção dos processos ativos. Se você quer uma atualização repetitiva da seleção e as informações exibidas, use top (1) em seu lugar.Esta versão do ps aceita vários tipos de opções:1 opções de UNIX, que podem ser agrupados e deve ser precedido por um traço. 2 opções de BSD, que podem ser agrupados e não devem ser utilizados com um traço. 3 opções longas GNU, que são precedidos por dois traços.Opções de tipos diferentes podem ser livremente misturados, mas os conflitos podem aparecer. Existem algumas opções sinónimas, que são funcionalmente idênticos, devido aos muitos padrões e implementações ps ps que este é compatível com a. Note-se que “-aux PS” é distinto de “ps aux”. Os padrões POSIX e UNIX exigem que “ps -aux” imprimir todos os processos pertencentes a um usuário chamado “x”, bem como a impressão de todos os processos que seriam selecionados pela opção -a. Se o usuário chamado “x” não existe, este ps pode interpretar o comando como “ps aux” em vez e imprimir um aviso. Este comportamento foi concebido para ajudar na transição scripts antigos e hábitos. É frágil, sujeito a alterações, e, portanto, não deve ser invocado. Por padrão, ps selecionar todos os processos com o mesmo ID de usuário efetivo (euid = EUID) como o usuário atual e associados com o mesmo terminal como o invocador. Ele exibe o ID do processo (pid = PID), o terminal associado com o processo (tname = TTY), o tempo de CPU acumulado em [DD] hh: mm: ss (tempo = tempo), e o nome do executável (ucmd = CMD). A saída é não separados por padrão. O uso de opções de estilo BSD irá adicionar estado do processo (status = STAT) para a exibição padrão e mostrar os argumentos de comando (args = COMMAND) em vez do nome do executável. Você pode substituir isso com a variável de ambiente PS_FORMAT. O uso de opções de estilo BSD também vai mudar o processo de seleção para incluir processos em outros terminais (ttys) que são de sua propriedade; alternadamente, isso pode ser descrito como definir a seleção para ser o conjunto de todos os processos filtrados para excluir os processos pertencentes a outros usuários ou não em um terminal. Estes efeitos não são considerados quando as opções são descritos como sendo “idêntica” a seguir, de modo -M serão considerados idênticos a Z e assim por diante. Exceto conforme descrito abaixo, opções de seleção processo são aditivos. A selecção predefinida é descartado, e, em seguida, os processos seleccionados são adicionados ao conjunto de processos a serem exibidos. Um processo vai, assim, ser mostrado se cumprir qualquer um dos indicados critérios de selecção.

Exemplos

Para ver todos os processos no sistema usando a sintaxe padrão:ps -e ps -ef ps -ef ps -elyPara ver todos os processos no sistema usando a sintaxe BSD:ps ax axu psPara imprimir uma árvore de processos:ps -ejH axjf psPara obter informações sobre tópicos:ps -elf axms psPara obter informações de segurança:ps -eo Euser, ruser, suser, fusor, f, comm, etiqueta ps AXZ ps -emPara ver todos os processos em execução como raiz (ID verdadeira e efetiva) no formato usuário:ps -U raiz u root uPara ver todos os processos com um formato definido pelo usuário:ps pid -eo, tid, classe, rtprio, ni, pri, psr, pcpu, stat, wchan: 14, comm ps axo stat, euid, ruid, tty, tpgid, sess, pgrp, ppid, pid, pcpu, comm ps -eopid, tt, usuário, fname, TMOUT, f, wchanImprimir somente os IDs de processo de syslogd:ps -C syslogd -o pid =Imprimir apenas o nome do PID 42:ps -p 42 -o comm =

Processo Seletivo Simples

-UMA Selecione todos os processos. Idêntico ao -e. -N Selecione todos os processos, exceto aqueles que cumprem as condições especificadas. (nega a selecção) Idêntico ao –deselect. T Selecione todos os processos associados a este terminal. Idêntica à opção t sem qualquer argumento. -uma Selecione todos os processos, exceto os dois líderes de sessão (ver getsid (2)) e os processos não associados a um terminal. uma Levante o BSD “apenas a si mesmo” restrição, que é imposta ao conjunto de todos os processos em que alguns de estilo BSD (sem “-“) opções são utilizados ou quando a definição ps personalidade é BSD-like. O conjunto de processos seleccionados desta maneira é em adição ao conjunto dos processos seleccionados por outros meios. Uma descrição alternativa é que esta opção faz com que ps para listar todos os processos com um terminal (tty), ou para listar todos os processos quando utilizados em conjunto com a opção x. -d Selecione todos os processos, com excepção líderes de sessão. -e Selecione todos os processos. Idêntica à -A. g Realmente tudo, até líderes de sessão. Esta bandeira é obsoleta e pode ser descontinuado em um relesse futuro. É normalmente implícito no uma bandeira, e só é útil quando operando na personalidade sunos4. r Restringir a seleção para apenas processos em execução. X Levante o BSD-style “deve ter um tty” restrição, que é imposta ao  conjunto de todos os processos em que alguns de estilo BSD (sem “-“) opções são utilizados ou quando a definição ps personalidade é BSD-like. O conjunto de processos seleccionados desta maneira é em adição ao conjunto dos processos seleccionados por outros meios. Uma descrição alternativa é que esta opção faz com que ps para listar todos os processos pertencentes a você (mesmo euid como ps), ou para listar todos os processos, quando utilizado em conjunto com a opção. –deselect Selecione todos os processos, exceto aqueles que cumprem as condições especificadas. (nega a seleção) Idêntico ao -n.Processo de seleção por lista
Estas opções de aceitar um único argumento na forma de uma lista em branco-separados ou separados por vírgulas. Eles podem ser usados ​​várias vezes. Por exemplo: ps -p “1 2” -p 3,4cmdlist -C Escolha pelo nome de comando.Isso seleciona os processos cujo nome executável é dada em cmdlist.-G grplist Selecção por ID verdadeiro grupo (RGID) ou nome.Isso seleciona os processos cujo verdadeiro nome do grupo ou o ID está na lista grplist. O grupo verdadeira ID identifica o grupo do usuário que criou o processo, consulte getgid (2).U userlist Selecção por ID efetiva do usuário (EUID) ou nome.Isso seleciona os processos cuja eficácia nome de usuário ou ID é na lista de utilizadores. O ID de usuário efetivo descreve o usuário cujas permissões de acesso a arquivos são usados ​​pelo processo (ver geteuid (2)). Idêntico ao -u e –user.-U userlist selecionar por ID utilizador real (RUID) ou nome.Ele seleciona os processos cujo verdadeiro nome de usuário ou ID está na lista userlist. O ID de usuário real identifica o usuário que criou o processo, consulte getuid (2).-g grplist Selecione por sessão ou pelo nome do grupo eficaz.Seleção por sessão é especificado por muitos padrões, mas a seleção por grupo eficaz é o comportamento lógico que vários outros sistemas operacionais usam. Este ps irá selecionar por sessão quando a lista é completamente numérico (como sessões são). números de identificação de grupo irá funcionar apenas quando alguns nomes de grupos também são especificados. Veja as opções -s e –group.p pidlist Selecione pelo ID do processo. Idêntico ao -p e –pid. pidlist -p Selecção por PID.Isso seleciona os processos cujos números de ID do processo aparecem em pidlist. Idêntico ao p e –pid.-s sesslist Selecione pelo ID da sessão.Isso seleciona os processos com um ID de sessão especificada no sesslist.t ttylist Selecção por tty. Quase idêntico ao -t e –tty, mas também pode ser usado com uma ttylist vazio para indicar o terminal associado com PS. Usando a opção T é considerado mais limpo do que usando T com um ttylist vazio. ttylist -t Selecção por tty.Isto selecciona os processos associados com os terminais de dados em ttylist. Terminais (ttys, ou telas para saída de texto) podem ser especificados em várias formas: / dev / ttyS1, ttyS1, S1. Um simples “-” pode ser utilizado para seleccionar os processos não ligados a qualquer terminal.-u userlist Selecção por ID efetiva do usuário (EUID) ou nome.Isso seleciona os processos cuja eficácia nome de usuário ou ID é na lista de utilizadores. O ID de usuário efetivo descreve o usuário cujas permissões de acesso a arquivos são usados ​​pelo processo (ver geteuid (2)). Idêntico ao U e –user.–group grplist Selecção por ID verdadeiro grupo (RGID) ou nome. Idêntico ao -G. userlist –user Selecione pela identificação real do usuário (RUID) ou nome. Idêntico ao -U. –group grplist Selecção por ID eficaz grupo (EGID) ou nome.Isso seleciona os processos cuja eficácia nome do grupo ou ID está em grouplist. O ID de grupo efetiva descreve o grupo cujas permissões de acesso a arquivos são usados ​​pelo processo (ver geteuid (2)). A opção -g é muitas vezes uma alternativa para –group.pidlist –pid Selecione pelo ID do processo. Idêntico ao -p e p. pidlist –ppid Selecione pelo ID do processo pai. Isso seleciona os processos com um ID do processo pai no pidlist. Ou seja, ele seleciona os processos que são filhos daqueles listados na pidlist. –sid sesslist Selecione pelo ID da sessão. Idêntico ao -s. –tty ttylist Selecione pelo terminal. Idêntico ao -t e t. –user userlist Selecção por ID efetiva do usuário (EUID) ou nome. Idêntico ao -u e U. – 123 Idêntico ao –sid 123. 123 Idêntico ao –pid 123.

Controle de Formato de Saída

Estas opções são utilizados para escolher as informações apresentadas pelo PS. A saída pode ser diferente de personalidade.-F formato completo extra. Veja a opção -f, o que implica -F. -O formato é como -o, mas traz algumas colunas padrão. Idênticas para -o pid, formato, estado, tname, tempo, comando ou pid -o, formato, tname, tempo, cmd, consulte -o abaixo. O formato o é pré-carregado (sobrecarregada).A opção BSD O pode agir como -O (formato de saída definido pelo usuário com alguns campos comuns predefinidos) ou pode ser usado para especificar a ordem de classificação. Heurísticas são usadas para determinar o comportamento de esta opção. Para garantir que o comportamento desejado é obtido (classificação ou formatação), especifique a opção de alguma outra forma (por exemplo, com -O ou –sort). Quando usado como uma opção de formatação, que é idêntico a -O, com a personalidade BSD.-M Adicionar uma coluna de dados de segurança. Idêntico ao Z. (Para SE Linux) X Registre formato. Z Adicionar uma coluna de dados de segurança. Idêntico ao -M. (Para SE Linux) -c Mostrar informações programador diferente para a opção -l. -f faz de listagem em formato completo. Esta opção pode ser combinado com muitas outras opções de estilo UNIX para adicionar colunas adicionais. Além disso, faz com que os argumentos do comando a ser impresso. Quando usado com -L, o NLWP (número de threads) e LWP (thread ID) colunas serão adicionadas. Veja a opção c, o formato args de palavras-chave, eo formato palavra-chave comm. j BSD formato de controle de trabalho. -j formato de empregos eu exibição BSD formato longo. -eu formato longo. A opção -y é frequentemente útil com isso. formato o especificar o formato definido pelo usuário. Idêntico ao -o e –format. formato -o formato definido pelo usuário.formato é um único argumento na forma de uma lista em branco-separados ou separados por vírgulas, que oferece uma maneira de especificar colunas de saída individuais. As palavras-chave reconhecidos são descritos na seção especificadores de formato padrão abaixo. Cabeçalhos podem ser renomeados (ps -o pid, ruser = RealUser -o comm = Command) como desejado. Se todos os cabeçalhos das colunas estão vazias (ps -o pid = -o comm =), em seguida, a linha de cabeçalho não será emitido. largura da coluna aumentará à medida necessária para cabeçalhos de largura; isso pode ser usado para alargar-se colunas como WCHAN (ps -o pid, wchan = WIDE-WCHAN-COLUMN -o comm). Controle explícito largura (opid ps, wchan: 42, cmd) é oferecido também. O comportamento do ps -o pid = X, comm = Y varia com a personalidade; saída pode ser uma coluna denominada “X, Y = Comm” ou duas colunas denominadas “X” e “Y”. Use várias opções -o quando em dúvida. Use a variável de ambiente PS_FORMAT para especificar um padrão como desejado; DefSysV e DefBSD são macros que podem ser utilizados para escolher os UNIX ou BSD colunas padrão.s formato do sinal de exibição você exibição orientada para o utilizador formato v o formato de exibição de memória virtual -y Não mostrar bandeiras; mostrar rss no lugar de endereço. Esta opção só pode ser usada com -l. -Z formato de exibição contexto de segurança (SELinux, etc.) formato –format formato definido pelo usuário. Idêntico ao -o e o. –contexto De formato de contexto de segurança. (Para SE Linux)

Os modificadores de saída

-H hierarquia show de processo (floresta) N namelist Especificar arquivo namelist. Idêntico ao -n, -n ver acima. O fim ordem de classificação. (sobrecarregado)A opção BSD O pode agir como -O (formato de saída definido pelo usuário com alguns campos comuns predefinidos) ou pode ser usado para especificar a ordem de classificação. Heurísticas são usadas para determinar o comportamento de esta opção. Para garantir que o comportamento desejado é obtido (classificação ou formatação), especifique a opção de alguma outra forma (por exemplo, com -O ou –sort).Para a classificação, obsoleto BSD O sintaxe de opção é O [+ | -] k1 [, [+ | -] K2 [, …]]. Manda listando os processos de acordo com o tipo, a vários níveis especificados pela sequência de teclas curtas de uma só letra K1, K2, … descrito na secção de chaves de classificação OBSOLETE abaixo. O “+” está atualmente opcional, apenas re-iteração a direção padrão em uma chave, mas pode ajudar a distinguir um tipo O de um formato S. O “-” inverte a direção única na chave que precede.S Soma-se algumas informações, tais como o uso da CPU, a partir de processos criança morta em seu pai. Isso é útil para examinar um sistema em que um processo pai repetidamente garfos off filhos de curta duração para fazer o trabalho. c Mostrar o nome do comando verdade. Isto é derivado do nome do arquivo executável, em vez de a partir do valor argv. Argumentos de comando e quaisquer alterações aos mesmos (ver setproctitle (3)), portanto, não são mostrados. Esta opção torna efetivamente a palavra-chave formato args para a palavra-chave formato comm; é útil com a opção -f format e com as várias opções de formato de estilo BSD, que todos normalmente mostrar os argumentos do comando. Veja a opção -f, o formato args de palavras-chave, eo formato palavra-chave comm. e Mostrar o ambiente após o comando. f hierarquia de processos ASCII-art (floresta)    h Nenhum cabeçalho. (Ou, um cabeçalho por tela na personalidade BSD)A opção h é problemática. Ps BSD padrão usa esta opção para imprimir um cabeçalho em cada página de saída, mas mais velhos ps Linux utiliza esta opção para desativar totalmente o cabeçalho. Esta versão do ps segue o uso de Linux de não imprimir o cabeçalho, a menos que a personalidade BSD foi selecionado, caso em que ele imprime um cabeçalho em cada página de saída. Independentemente da personalidade atual, você pode usar o tempo Opções –headers e –no-headers para permitir que cabeçalhos impressão de cada página ou desativar cabeçalhos inteiramente, respectivamente.k especificação especificar a ordem de classificação. Classificando sintaxe é [+ | -] tecla [, [+ | – chave] [, …]] Escolha uma chave multi-carta da seção Formato especificadores padrão. O “+” é opcional uma vez direção padrão é crescente ordem numérica ou lexicográfica. Idêntico ao –sort. Exemplos:ps jaxkuid, -ppid, + pid ps axk comm o comm, args ps -ef kstart_timenamelist -n definir arquivo namelist. Idêntico ao N.O arquivo namelist é necessário para uma exibição WCHAN adequada, e deve coincidir com o atual kernel do Linux exatamente para a saída correta. Sem esta opção, o caminho de busca padrão para a lista de nomes é:$ PS_SYSMAP $ PS_SYSTEM_MAP/ Proc / * / wchan/boot/System.map-`uname -r`/boot/System.map/ Lib / modules / `uname -r` / System.map/usr/src/linux/System.map/System.mapn saída numérica para WCHAN e usuário. (Incluindo todos os tipos de UID e GID) -W saída de largura. Use esta opção duas vezes para a largura ilimitada. W saída de largura. Use esta opção duas vezes para a largura ilimitada. –cols n largura da tela conjunto –columns n largura da tela conjunto –cumulative incluem alguns dados processo Dead criança (como uma soma com o pai) –floresta árvore de processos de arte ASCII –headers linhas de cabeçalho de repetição, um por página de saída –no-headers imprimir nenhuma linha de cabeçalho em tudo –lines n set altura da tela –rows n set altura da tela especificação –sort especificar a ordem de classificação. Classificando sintaxe é [+ | -] tecla [, [+ | – chave] [, …]] Escolha uma chave multi-carta da seção Formato especificadores padrão. O “+” é opcional uma vez direção padrão é crescente ordem numérica ou lexicográfica. Idêntico ao k. Por exemplo: ps jax –sort = uid, -ppid, + pid –width n largura da tela conjunto

Exibição de rosca

H Mostrar tópicos como se fossem processos -EU Mostrar tópicos, possivelmente com LWP e colunas NLWP -T Mostrar tópicos, possivelmente com coluna SPID m Mostrar tópicos após processos -m Mostrar tópicos após processos

Outra informação


eu Liste todos os especificadores de formato. -V Imprimir a versão procps. V Imprimir a versão procps. –Socorro Imprimir uma mensagem de ajuda. –info Imprimir informações de depuração. –versão Imprimir a versão procps.notas
Este ps funciona através da leitura dos arquivos virtuais em / proc. Este ps não precisa ser kmem setuid ou ter quaisquer privilégios para executar. Não dê este ps permissões especiais.Este ps precisa de acesso a dados NAMELIST para exibição WCHAN adequada. Para kernels anteriores a 2.6, o arquivo System.map deve ser instalado.uso da CPU está expressa como a percentagem de tempo gasto em execução durante todo o tempo de vida de um processo. Este não é o ideal, e não se conforma com os padrões que ps de outra forma está em conformidade com. uso da CPU é improvável que somam exatamente 100%.Os campos de tamanho e RSS não contam algumas partes de um processo, incluindo as tabelas de páginas, pilha do kernel, thread_info struct, e task_struct struct. Este é normalmente pelo menos 20 KiB de memória que é sempre residente. TAMANHO é o tamanho virtual do processo (código + dados + pilha).Processos marcados <extinta> são processos mortos (os chamados “zombies”) que permanecem porque seu pai não destruiu-los adequadamente. Estes processos serão destruídas por o init (8) se o processo pai sai.Se o comprimento do nome de utilizador é maior do que o comprimento da coluna de exibição, o ID de utilizador numérico é exibido em vez disso.Bandeiras de processo
A soma destes valores é apresentada na coluna “F”, que é fornecido pelo especificador saída bandeiras.1 bifurcada, mas não exec 4 privilégios de super-usuário usado

Códigos de estado de processo

Aqui estão os diferentes valores que os especificadores de saída S, stat e estaduais (cabeçalho “STAT” ou “S”) irá mostrar para descrever o estado de um processo.D sono ininterrupta (normalmente IO) R Execução ou executável (na fila de execução) S sono interruptível (à espera de um evento para completar) T Interrompido por um sinal de controlo de emprego ou porque ele está sendo rastreado. W paginação (não é válido desde que o kernel 2.6.xx) X mortos (nunca deve ser visto) Z Defunto ( “zumbi”) do processo, encerrado, mas não colheu por seu pai.Para formatos BSD e quando a palavra-chave STAT é usada, caracteres adicionais podem ser exibidas:< De alta prioridade (não é bom para os outros usuários) N baixa prioridade (bom para outros usuários) eu tem páginas bloqueadas na memória (para em tempo real e personalizado IO) s é um líder de sessão eu é multi-threaded (usando CLONE_THREAD, como pthreads NPTL fazer) + está no grupo de processo em primeiro planoObsoletos Classificar Chaves
Estas chaves são utilizadas pela opção BSD O (quando ele é usado para triagem). A opção GNU –sort não usar essas chaves, mas os especificadores descrito abaixo na seção de especificadores de formato padrão. Note-se que os valores usados ​​na triagem são os usos valores ps internos e não os valores “cozinhado” utilizados em alguns dos campos de formato de saída (por exemplo, a classificação em tty irá classificar no número de dispositivo, não de acordo com o nome do terminal exibido). Tubo ps saída para o tipo (1) de comando se você deseja classificar os valores cozidos.Aix Descritores Format
Este ps suporta descritores de formato AIX, que funcionam um pouco como os códigos de formatação de printf (1) e printf (3). Por exemplo, o padrão normal de saída pode ser produzido com este: PS -eo “% p% Y% X% C”. Os códigos normais são descritas na próxima seção.Especificadores de formato padrão
Aqui estão as diferentes palavras-chave que podem ser usados ​​para controlar o formato de saída (por exemplo, com a opção -o) ou para classificar os processos selecionados com a opção –sort GNU-estilo.Por exemplo: ps -eo pid, usuário, usuário args –sortEsta versão do ps tenta reconhecer a maioria das palavras-chave usadas em outras implementações do ps.Os seguintes especificadores de formato definidos pelo usuário podem conter espaços: args, cmd, comm, comando, fname, ucmd, ucomm, lstart, bsdstart, começar.Algumas palavras-chave pode não estar disponível para a classificação.variáveis ​​ambientais
As seguintes variáveis ​​de ambiente podem afetar ps:COLUNASSubstituir largura de exibição padrão.LINHASSubstituir altura de exibição padrão.PS_PERSONALITYDefinido como um dos posix, velho, Linux, BSD, sol, digital, arte … (ver secção PERSONALIDADE abaixo).CMD_ENVDefinido como um dos posix, velho, Linux, BSD, sol, digital, arte … (ver secção PERSONALIDADE abaixo).I_WANT_A_BROKEN_PSForçar interpretação linha de comando obsoleto.LC_TIMEFormato de data.PS_COLORSNão há suporte atualmente.PS_FORMAToverride padrão formato de saída. Você pode definir isso como uma cadeia de formato do tipo usado para a opção -o. Os valores DefSysV DefBSD e são particularmente úteis.PS_SYSMAPnamelist padrão (System.map) local.PS_SYSTEM_MAPnamelist padrão (System.map) local.POSIXLY_CORRECTNão encontrar desculpas para ignorar más “características”.POSIX2Quando configurado para “on”, atua como POSIXLY_CORRECT.UNIX95Não encontrar desculpas para ignorar más “características”._XPGAnular CMD_ENV = irix comportamento não-padrão.Em geral, é uma má idéia para definir essas variáveis. A única exceção é CMD_ENV ou PS_PERSONALITY, o que poderia ser definido como Linux para sistemas normais. Sem esse ajuste, ps segue as partes inúteis e maus da norma Unix98.Personalidade


Veja também


parte superior (1), pgrep (1), pstree (1), proc (5).


Padrões


Isto está de acordo com PS:1 A versão 2 do Single UNIX Specification 2 As especificações Open grupo Standard Base Técnico, Edição 6 3 IEEE Std 1003.1, Edição 2004 4 X / Open System Interfaces de Extensão [UP XSI] 5 ISO / IEC 9945: 2003Autor


ps foi originalmente escrito por Branko Lankester < lankeste@fwi.uva.nl >. Michael K. Johnson < johnsonm@redhat.com > re escreveu-lo significativamente para usar o sistema de arquivos proc, mudando algumas coisas no processo. Michael Shields < mjshield@nyx.cs.du.edu > adicionou o recurso de lista pid. Charles Blake < cblake@bbn.com  > acrescentou triagem multi-nível, a biblioteca de estilo dirent, o dispositivo de nome para número de banco de dados mmaped, a busca binária aproximada diretamente na System.map, e muitas limpezas de código e documentação. David Mossberger-Tang escreveu o apoio BFD genérico para psupdate. Albert Cahalan < albert@users.sf.net > ps reescreveu para suporte completo Unix98 e BSD, junto com algumas gambiarras para sintaxe obsoleta e estrangeira.Por favor, enviar relatórios de erros para < procps-feedback@lists.sf.net >. Sem assinatura é necessária ou sugerido.referenciada por
bmc-config (8), bmc-dispositivo (8), bmc-info (8), clone (2), cntlm (1), as credenciais (7), cavar (1), dstat (1), livre (1) , freeipmi.conf (5), funzip (1), fusor (1), groff_mdoc (7), hb_report (8), hboot (1), htop (1), ipmi-chassis (8), ipmi-chassi-config (8), ipmi-fru (8), ipmi-raw (8), ipmi-SEL (8), ipmi-sensores (8), IPMI sensores-config (8), ipmiconsole (8), ipmiconsole.conf ( 5), ipmimonitoring (8), ipmipower (8), ipmipower.conf (5), killall (1), lgroupmod (1), lpasswd (1), lsof (8), luseradd (1), lusermod (1), lvdisplay (8), LXC-ps (1), mdoc.samples (7), nnrpd (8), nsupdate (1), nsupdate (8), passageiros de memória Estatística (8), passageiros-status (8), PEF-config (8), perl58delta (1), perlipc (1), perlvar (1), pidstat (1), PKCS15-cripta (1), PKCS15-init (1), pmap (1), PowerMan-dispositivos ( 7), pppd (8), pthreads (7), pvdisplay (8), pwdx (1), rexec (1), slabtop (1), smem (8), tcpdump (8), tload (1), o tempo de funcionamento ( 1), uustat (1), vgdisplay (8), vmstat (8), W (1), whowatch (1), x11vnc (1), xdm (1), zshbuiltins (1)

Anúncios

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.