Comando kill

Comando kill

O comando kill,  como o nome já diz mata ou finaliza o processo.
O comando  kill, finaliza o processo pelo numero de pid (identificação de processo).
Exe:. vou iniciar qualquer programa pelo shell, mostrar o processo pelo  

ps -au e finalizar com o kill.

O comando kill serve para finalizar processos
Veja o que aconteceu, eu iniciei o firefox com & no final do comando fazendo ele rodar em segundo plano, certo.

E com isso o terminal ficou liberado para eu poder executar mais comandos com eu fiz, iniciei o comando ps -au, na linha que está marcada note  o (nome do comando) e o pid (identificação do processo), tudo bem até aqui ?

Agora vou finalizar o processo ou o comando ou como achar melhor o programa que foi iniciado no terminal com o comando kill.

[caption id="" align="aligncenter" width="400"]Exemplo do comando kill -9 kill -9 [pid][/caption]

Observe  entre o pid  (1101 e 1444) onde o pid do firefox estava, viu foi morto ou  finalizado.

Para mais detalhes consulte o man kill.

Manpages man kill

Lembrete: sempre que precisar limpar a tela digite clean ou Crtl+l.

Nome

kill- encerrar um processo

Sinopse

Matar o sinal [ -s | -p ] [ ] pid  kill -l [ sinal ]

Descrição

O comando kill envia o sinal especificado para o processo ou grupo de processo especificado. Se nenhum sinal for especificado, o sinal TERM será enviado. O sinal TERM matará processos que não capturam esse sinal. Para outros processos, pode ser necessário usar o sinal KILL (9), pois este sinal não pode ser capturado.

A maioria das conchas modernas tem uma função de matança final, com um uso bastante semelhante ao do comando descrito aqui. As opções ‘-a’ e ‘-p’, e a possibilidade de especificar pids por nome de comando é uma extensão local.

Se sig for 0, então nenhum sinal é enviado, mas a verificação de erros ainda é realizada.

Opções

pid Especifique a lista de processos que matam devem sinalizar. Cada pid pode ser uma das cinco coisas:
n onde n é maior do que 0. O processo com pid n será sinalizado.

0

Todos os processos no atual grupo de processos são sinalizados.

-1

Todos os processos com pid maior que 1 serão sinalizados.

n

onde n é maior que 1. Todos os processos no grupo de processos n são sinalizados. Quando um argumento da forma ‘-n’ é dado, e se destina a denotar um grupo de processo, o sinal deve ser especificado primeiro, ou o argumento deve ser precedido por uma opção ‘-‘, caso contrário, ele será tomado como o sinal a enviar.

nome do comando

Todos os processos invocados usando esse nome serão sinalizados.

-s sinal
Especifique o sinal a enviar. O sinal pode ser dado como um nome ou número de sinal.
-eu Imprima uma lista de nomes de sinal. Estes são encontrados em /usr/include/linux/signal.h -uma Não restrinja a conversão do nome do comando para os processos com o mesmo uid que o processo atual. -p

Especifique que a matança deve imprimir apenas o ID do processo (pid) dos processos nomeados e não enviar nenhum sinal.

Veja também

bash (1), tcsh (1), kill (2), sigvec (2), sinal (7)

Autor

Tirado da BSD 4.4. A capacidade de traduzir nomes de processo para processar ids foi adicionada por Salvatore Valente < svalente@mit.edu >.

Disponibilidade

O comando kill é parte do pacote util-linux-ng e está disponível em ftp://ftp.kernel.org/pub/linux/utils/util-linux-ng/ .

Referenciado por

3proxy (8), darkstat (8), forktest (6), fuser (1), hboot (1), killall (1), lamhalt (1), lamwipe (1), ldattach (8), lp5250d (1), lsof (8), miau (1), nxtvepg (1), pgrep (1), pmsignal (1), sge_checkpoint (5), sge_conf (5), sge_queue_conf (5), sigaction (2), sinal (2), habilidade (1), tcpdump (8), tgif (1), thttpd (8), timeout (1), uucico (8)

Anúncios

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.