Comando dpkg

Comando dpkg

  O comando dpkg − um gerenciador de pacotes de nível médio para o Debian. Com esse comando você consegue manipular pacotes do sistema, como instalar, desinstalar, ver pacotes instalados …

Vou fazer um exemplo listando os pacotes que estão instalados e selecionar alguns pacotes filtrando com o grep. 

[caption id="" align="aligncenter" width="400"]Para listar os pacotes instalados no sistema debian dpkg –get-selections | less[/caption]

Vai te dar uma lista de todos pacotes instalado e desinstalado no sistema.

Agora selecionar os pacotes relacionado ao caja.

[caption id="" align="aligncenter" width="400"]Usando o grep-i como filtro dpkg -i virtualbox-5.1_5.1.4-110228~Debian~jessie_i386.deb [/caption]

Agora vou instalar um pacote com o dpkg -i

[caption id="" align="aligncenter" width="400"]Para instalar pacotes baixados dpkg -i virtualbox-5.1_5.1.4-110228~Debian~jessie_i386.deb [/caption]


Para mais informações man dpkg

Nome

dpkg – gerenciador de pacotes para Debian

Sinopsis

dpkg [ opção …] ação

Aviso

Este manual destina-se a usuários que desejam compreender as opções de linha de comando e os estados do pacote do dpkg com mais detalhes do que o fornecido pelo dpkg -help .

Não deve ser usado pelos mantenedores de pacotes que desejam entender como o dpkg irá instalar seus pacotes. As descrições do que o dpkg faz ao instalar e remover pacotes são particularmente inadequadas.

Discrição

O dpkg é uma ferramenta para instalar, criar, remover e gerenciar pacotes Debian. O front-end primário e mais fácil de usar para dpkg é aptitude (1). O próprio dpkg é totalmente controlado por parâmetros de linha de comando, que consistem exatamente em uma ação e em zero ou mais opções. O parâmetro de ação diz ao dpkg o que fazer e as opções controlam o comportamento da ação de alguma forma.

O dpkg também pode ser usado como front-end para dpkg-deb (1) e dpkg-query (1) . A lista de ações suportadas pode ser encontrada mais tarde na seção ACÇÕES . Se qualquer ação for encontrada, dpkg apenas executa dpkg-deb ou dpkg-query com os parâmetros que lhe são fornecidos, mas nenhuma opção específica é passada para eles, para usar qualquer dessas opções, os back-ends precisam ser chamados diretamente.

INFORMAÇÕES SOBRE PACOTES

O dpkg mantém algumas informações úteis sobre os pacotes disponíveis. A informação é dividida em três classes: estados , estados de seleção e sinalizadores . Esses valores devem ser alterados principalmente com dselect

Pacote indica

não instalado O pacote não está instalado no seu sistema.

  • arquivos de configuração Somente os arquivos de configuração do pacote existem no sistema.
  • meio instalada A instalação do pacote foi iniciada, mas não foi completada por algum motivo.
  • descompactado O pacote é descompactado, mas não configurado.
  • meio configurado O pacote é descompactado e a configuração foi iniciada, mas ainda não foi concluída por algum motivo.
  • gatilhos aguardados O pacote aguarda o processamento do disparador por outro pacote.
  • disparadores pendentes O pacote foi acionado.
  • instalado O pacote está corretamente descompactado e configurado.
  • A seleção indica
  • instalar O pacote é selecionado para instalação.
  • aguarde Um pacote marcado para manter em espera não é tratado pelo dpkg, a menos que forçado a fazer isso com a opção – força-espera .
  • desinstalar O pacote é selecionado para desinstalação (ou seja, queremos remover todos os arquivos, exceto os arquivos de configuração).
  • purga O pacote é selecionado para ser purgado (ou seja, queremos remover tudo dos diretórios do sistema, até mesmo arquivos de configuração).

Bandeiras de pacotes

Requisitado Um pacote marcado como reinstalado é quebrado e requer reinstalação. Esses pacotes não podem ser removidos, a menos que forçados com a opção –force-remove-reinstreq .

Ações

-i , – instalar o pacote-arquivo … Instale o pacote. Se –recursive ou -R opção for especificada,  pacote-arquivo  deve referir-se a um diretório em vez disso.A instalação consiste nas seguintes etapas:

1. Extraia os arquivos de controle do novo pacote.

2. Se outra versão do mesmo pacote foi instalada antes da nova instalação, execute o script prerm do pacote antigo.

3. Execute o script pré-inicial , se fornecido pelo pacote.

4. Descompacte os novos arquivos e, ao mesmo tempo, faça backup dos arquivos antigos, de modo que, se algo der errado, eles podem ser restaurados.

5. Se outra versão do mesmo pacote foi instalada antes da nova instalação, execute o script postrm do pacote antigo. Observe que esse script é executado após o script anterior do novo pacote, porque novos arquivos são gravados ao mesmo tempo em que arquivos antigos são removidos.

6. Configure o pacote. Veja –configure para obter informações detalhadas sobre como isso é feito.

pacote pacote-arquivo … Descompacte o pacote, mas não o configure. Se –recursive ou -R opção for especificada, pacote-arquivo deve referir-se a um diretório em vez disso.

–configurepacote … | -a | –pendente Configure um pacote que foi descompactado, mas ainda não configurado. Se -a ou –pendendo for dado em vez de pacote , todos os pacotes descompactados, mas não configurados, são configurados.Para reconfigurar um pacote que já foi configurado, experimente o comando dpkg-reconfigure (8) .

A configuração consiste nas seguintes etapas:

1. Desembale os conffiles e, ao mesmo tempo, faça backup dos velhos conffiles, para que possam ser restaurados se algo der errado.

2. Execute o script pós-inicial , se fornecido pelo pacote.

pacoteapenas para gadgets … | -a | –pendente Processos apenas dispara. Todos os triggers pendentes serão processados. Se os nomes dos pacotes forem fornecidos, apenas os disparadores desses pacotes serão processados, exatamente uma vez, sempre que necessário. O uso desta opção pode deixar pacotes nos estados desencadeantes impróprios e aguardados . Isso pode ser corrigido posteriormente executando: dpkg –configure –pending .

-r , –removepacote… |-a|–pendente Remova um pacote instalado. Isso remove tudo, exceto conffiles, o que pode evitar ter que reconfigurar o pacote se ele for reinstalado mais tarde (conffiles são arquivos de configuração listados no arquivo de controle DEBIAN / conffiles ). Se -a ou –pending for dado em vez de um nome de pacote, todos os pacotes descompactados, mas marcados para serem removidos no arquivo / var / lib / dpkg / status , são removidos.

A remoção de um pacote consiste nas seguintes etapas:

1. Execute o script prerm

2. Remova os arquivos instalados

3. Execute o script Postrm

-P , – pacote depurga … | -a | –pendente Purgar um pacote instalado ou já removido. Isso remove tudo, incluindo conffiles. Se -a ou –pendendo for dado em vez de um nome de pacote, todos os pacotes descompactados ou removidos, mas marcados para serem purgados em arquivo / var / lib / dpkg / status , são purgados.

Nota: alguns arquivos de configuração podem ser desconhecidos para o dpkg porque eles são criados e manipulados separadamente através dos scripts de configuração. Nesse caso, o dpkg não irá removê-los por si só, mas o script postrm do pacote (chamado por dpkg ), deve cuidar da remoção durante a purga. Claro, isso aplica-se apenas aos arquivos nos diretórios do sistema, e não aos arquivos de configuração escritos nos diretórios domésticos dos usuários individuais.

A purga de um pacote consiste nas seguintes etapas:

1. Remova a embalagem, se não for removida. Veja –remove para informações detalhadas sobre como isso é feito.

2. Execute o script Postrm .

-V , –verificar [ nome do pacote …] Verifica a integridade do nome do pacote ou de todos os pacotes, se omitido, comparando as informações dos arquivos instalados por um pacote com as informações de metadados dos arquivos armazenados no banco de dados dpkg . A origem das informações de metadados dos arquivos no banco de dados são os próprios pacotes binários. Essa metadata é coletada no tempo de desempacotamento do pacote durante o processo de instalação.

Atualmente, a única verificação funcional realizada é uma verificação md5sum em relação ao valor armazenado no banco de dados de arquivos. Só será verificado se o banco de dados contiver o arquivo md5sum. Para verificar se há metadados em falta no banco de dados, o comando –audit pode ser usado.

O formato de saída é selecionável com a opção –verify-format , que, por padrão, usa o formato rpm , mas isso pode mudar no futuro e, como tal, os programas que analisam esse resultado do comando devem ser explícitos sobre o formato que esperam.

– up-avail-avail , –merge-avail [ Package-file ] Atualize a ideia dpkg e dselect de quais pacotes estão disponíveis. Com a ação – -merge-avail , informações antigas são combinadas com informações do pacote-arquivo . Com ação – update-avail , as informações antigas são substituídas pelas informações no pacote-arquivo . O pacote-arquivo distribuído com o Debian é simplesmente chamado de Pacotes . Se o argumento do Pacote-arquivo estiver ausente ou nomeado então ele será lido a partir da entrada padrão (desde dpkg 1.17.7). dpkg mantém seu registro de pacotes disponíveis em / var / lib / dpkg / disponível . Um comando simples para recuperar e atualizar o arquivo disponível é dselect update . Observe que este arquivo é principalmente inútil se você não usar dselect, mas um frontend baseado em APT: a APT possui seu próprio sistema para acompanhar os pacotes disponíveis.

-A , –record-availpackage-file … Atualize a ideia dpkg e dselect de quais pacotes estão disponíveis com informações do pacote-pacote . Se –recursive ou -R opção for especificada, pacote-arquivo deve referir-se a um diretório em vez disso.

– Forget-old-Unavail Agora obsoleto e um não-op como o dpkg esquecerá automaticamente os pacotes indisponíveis desinstalados.

– claro-disponível Apague as informações existentes sobre os pacotes disponíveis.

-C , –audit [ nome do pacote …] Realiza verificações de sanidade e consistência do banco de dados para o nome do pacote ou todos os pacotes, se omitidos. Por exemplo, procura pacotes que tenham sido instalados apenas parcialmente em seu sistema ou que tenham faltando, dados ou arquivos de controle incorretos ou obsoletos. dpkg irá sugerir o que fazer com eles para corrigi-los.

–get-selections [ package-name-pattern …]  Obter lista de seleções de pacotes e gravá-lo para stdout. Sem um padrão, os pacotes não instalados (ou seja, os que foram previamente purgados) não serão exibidos.

– set-selections Defina seleções de pacotes usando o arquivo lido de stdin. Este arquivo deve estar no formato ‘ estado dopacote ‘, onde o estado é um de instalar , manter , desinstalar ou purgar . As linhas em branco e as linhas de comentários que começam com ‘#’ também são permitidas.O arquivo disponível precisa estar atualizado para que este comando seja útil, caso contrário os pacotes desconhecidos serão ignorados com um aviso. Veja os comandos –update-avail e -merge-avail para obter mais informações.

– seleções claras Defina o estado solicitado de cada pacote não essencial para desinstalar. Isso se destina a ser usado imediatamente antes de –set-selecções , para desinstalar todos os pacotes que não estão na lista atribuídos a – set-selections .

– Simples para desempacotar Procura pacotes selecionados para instalação, mas que por algum motivo ainda não foram instalados.

– arquitetura de arquitectura adiada  Adicione arquitetura à lista de arquiteturas para as quais os pacotes podem ser instalados sem usar –force-architecture . A arquitetura dpkg é construída para (ou seja, a saída de –print-architecture ) é sempre parte dessa lista.

– arquitetura de remoção de arquitetura Remova a arquitetura da lista de arquiteturas para as quais pacotes podem ser instalados sem usar –force-architecture . Se a arquitetura estiver atualmente em uso no banco de dados, a operação será recusada, exceto se –force-architecture for especificada. A arquitetura dpkg é construída para (ou seja, a saída de –print-architecture ) nunca pode ser removida dessa lista.

–print-architecture Arquitetura de impressão de pacotes dpkg instala (por exemplo, “i386”).

–print-foreign-architectures Imprima uma lista separada de novas arquiteturas extra. Dpkg está configurado para permitir a instalação de pacotes.

–compare-versions ver1 op ver2 Compare números de versão, onde op é um operador binário. dpkg retorna sucesso (resultado zero) se a condição especificada for satisfeita e falha (resultado diferente de zero) caso contrário. Existem dois grupos de operadores, que diferem em como eles tratam um vazio ver1 ou ver2 . Estes tratam uma versão vazia como anteriormente do que qualquer versão: lt le eq ne ge gt . Estes tratam uma versão vazia como posterior a qualquer versão: lt-nl le-nl ge-nl gt-nl . Estes são fornecidos apenas para compatibilidade com a sintaxe do arquivo de controle: <<< <= => = >>> .

-? , – ajuda Exibir uma breve mensagem de ajuda.

– força-ajuda Dê ajuda sobre as opções –force-thing .

-Dh , –debug = help Dê ajuda sobre opções de depuração.

–versão Exibir informações da versão dpkg .

ações do dpkg-deb Veja dpkg-deb (1) para obter mais informações sobre as seguintes ações.

-b , --builddirectory [ archive |  diretório ]
     Crie um pacote deb.
 -c , --contentarchive
     Liste o conteúdo de um pacote deb.
 -e , --controlfilename [ directory ]
     Extraia informações de controle de um pacote.
 -x , --extractarchive directory
     Extraia os arquivos contidos no pacote.
 -X , --vextractdiretório de arquivos
     Extraia e exiba os nomes de arquivos contidos por um
     pacote.
 -f , -arquivode campo [ campo de controle ...]
     Exibir campo (s) de controle de um pacote.
 -Arquivo dearquivo-tarS-tar
     Exibir o arquivo tar do sistema de arquivos contido por um
     Pacote Debian.
 -I , --infoarchive [ controle-arquivo ...]
     Mostrar informações sobre um pacote.
dpkg-query actions
Veja dpkg-query (1) para obter mais informações sobre as seguintes ações.
-l , --listpackage-name-pattern ...
     Lista de pacotes que correspondem ao padrão dado.
 -s , - statusnome do pacote ...
     Relate o status do pacote especificado.
 -L , --listfilespackage-name ...
     Liste os arquivos instalados no seu sistema a partir do nome do pacote .
 -S , --searchfilename-search-pattern ...
     Procure um nome de arquivo de pacotes instalados.
 -p , --print-availpackage-name ...
     Exibir detalhes sobre o nome do pacote , conforme encontrado em
      / var / lib / dpkg / disponível .  Usuários de front-end baseados em APT
     deve usar o nome do pacote doapt-cache showem vez disso.


 Opções

Todas as opções podem ser especificadas na linha de comando e no arquivo de configuração dpkg/etc/dpkg/dpkg.cfg ou arquivos de fragmentos (com nomes correspondentes a este padrão de shell ‘[0-9a-zA-Z _-] *’) no diretório de configuração /etc/dpkg/dpkg.cfg.d/ . Cada linha no arquivo de configuração é uma opção (exatamente a mesma opção de linha de comando, mas sem hífens de liderança) ou um comentário (se ele começar com um # ).

–abort-after =número Mude após quantos erros dpkg irá abortar. O padrão é 50.
-B , –auto-deconfigure Quando um pacote é removido, existe a possibilidade de que outro pacote instalado dependesse do pacote removido. Especificar esta opção causará a desconfiguração automática do pacote que dependia da embalagem removida.
-Doctal,–debug =  octal  Troque a depuração. octal é formado por bit-orring valores desejados juntos da lista abaixo (observe que esses valores podem mudar em versões futuras). -Dh ou –debug = help exibem esses valores de depuração.
Descrição do número
1 Informações de progresso geralmente úteis
2 Invocação e status dos scripts do mantenedor
10 Saída para cada arquivo processado
100 Lotes de saída para cada arquivo processado
20 Saída para cada arquivo de configuração
200 Lotes de saída para cada arquivo de configuração
40 Dependências e conflitos
400 Muitas dependências / saída de conflitos
10000 Ativação e processamento de gatilho
20000 Lotes de saída em relação aos gatilhos
40000 Quantidades tolas de saída em relação a gatilhos
1000 Lotes de drivel sobre eg dpkg / info dir
2000 quantidades insanas de drivel
reforçarascoisas , – não forçarascoisas , –refazer ascoisas
Forçar ou recusar ( sem força e recusar significa a mesma coisa) para fazer algumas coisas. As coisas são uma lista separada por vírgulas das coisas especificadas abaixo. –force-help exibe uma mensagem descrevendo-os. As coisas marcadas com (*) são forçadas por padrão.
Aviso: estas opções são principalmente destinadas a serem usadasapenaspor especialistas.Usá-los sem entender completamente seus efeitos podem quebrarseu sistema inteiro.
tudo : liga (ou desliga) todas as opções de força.
downgrade (*): instale um pacote, mesmo que a versão mais recente já esteja instalada.
Aviso: no momento, odpkgnão faz nenhumaverificação dedependênciaem downgrades e, portanto, não avisaráse o downgrade quebra a dependência de algum outropacote.Isso pode ter sérios efeitos colaterais, a destruição decomponentes essenciais do sistema pode mesmo tornar seusistemainteiroinutilizável.Use com cuidado.
configure-any : Configure também quaisquer pacotes descompactados, mas não configurados, nos quais o pacote atual depende.
segure : processe pacotes mesmo quando marcado como “segurar”.
remove-reinstreq : remova uma embalagem, mesmo que esteja quebrada e marcada para exigir a reinstalação. Isso pode, por exemplo, fazer com que partes da embalagem permaneçam no sistema, que serão então esquecidas pelo dpkg .
remover-essencial : remover, mesmo que a embalagem seja considerada essencial. Os pacotes essenciais contêm principalmente comandos Unix muito básicos. Removê-los pode fazer com que todo o sistema pare de funcionar, então use com cautela.
depende : Transforme todos os problemas de dependência em avisos.
Depend-version : Não se preocupe com versões ao verificar dependências.
quebra : instale, mesmo que isso rompa outro pacote.
conflitos : Instale, mesmo que entre em conflito com outro pacote. Isso é perigoso, pois geralmente causará a substituição de alguns arquivos.
confiss : se um conffile estiver faltando e a versão no pacote mudou, instale sempre o conffile ausente sem avisar. Isso é perigoso, pois isso significa não preservar uma alteração (remoção) feita no arquivo.
Confiew : se um conffile foi modificado e a versão no pacote mudou, instale sempre a nova versão sem solicitação, a menos que a –force-confdef também seja especificada, caso em que a ação padrão é preferida.
confuso : se um conffile foi modificado e a versão no pacote mudou, mantenha sempre a versão antiga sem solicitação, a menos que o –force-confdef também seja especificado, caso em que a ação padrão é preferida.
Confdef : se um conffile foi modificado e a versão no pacote mudou, escolha sempre a ação padrão sem solicitar. Se não houver nenhuma ação padrão, ela irá parar de perguntar ao usuário, a menos que – força-confile ou – confusão de força também seja dada, caso em que usará isso para decidir a ação final.
Confask : se um conffile foi modificado sempre ofereça para substituí-lo pela versão no pacote, mesmo que a versão no pacote não tenha mudado. Se houver algum de – force-confmiss , –force-confnew , –force-confold , ou –force-confdef , ele será usado para decidir a ação final.
Substituir: Substitua o arquivo de um pacote pelo arquivo de outro.
overwrite-dir Substitua o diretório de um pacote com o arquivo de outro.
Substituir -desviado : Substituir um arquivo desviado por uma versão não desviada.
não seguro : não execute operações de E / S seguras ao desembalar. Atualmente isso implica não executar sincronização de sistema de arquivos antes de renomear arquivos, o que é conhecido por causar degradação substancial do desempenho em alguns sistemas de arquivos, infelizmente aqueles que exigem a E / S segura no primeiro lugar devido ao seu comportamento não confiável causando arquivos de comprimento zero falha no sistema abrupto.
Nota : Para o ext4, o principal ofensor, considere usar em vez disso a opção de montagem nodelalloc , que irá corrigir a degradação do desempenho e os problemas de segurança de dados, o último, tornando o sistema de arquivos não produzir arquivos de comprimento zero em falhas abruptas do sistema com qualquer software não faz sincronização antes das renomeações atômicas.
Aviso: usar esta opção pode melhorar o desempenho ao custo deperda de dados, use com cuidado.
arquitetura : processar pacotes pares com arquitetura incorreta ou nenhuma.
versão ruim : processe pacotes pares com versões erradas.
caminho ruim : PATH está faltando programas importantes, então os problemas são prováveis.
não-root : tente (de) instalar coisas mesmo quando não são raiz.
mau-verifique : instale um pacote mesmo que falhe na verificação de autenticidade.
–ignore-depends = pacote , … Ignore a verificação de dependências para pacotes especificados (na verdade, a verificação é realizada, mas apenas avisos sobre conflitos são fornecidos, nada mais).
–não ato , – escorrer , – simplificar Faça tudo o que é suposto ser feito, mas não escreva nenhuma alteração. Isso é usado para ver o que aconteceria com a ação especificada, sem realmente modificar nada.
Certifique-se de dar – não agir antes do parâmetro de ação, ou você pode acabar com resultados indesejáveis. (por exemplo, dpkg purge foo–no-act irá primeiro purgar o pacote foo e depois tentar limpar o pacote – não agir, mesmo que você provavelmente esperava que ele realmente não fizesse nada)
-R , –recursivo Recursivamente lidar com todos os arquivos comuns correspondentes padrão * .deb encontrado em diretórios especificados e todos os seus subdiretórios. Isso pode ser usado com -i , -A , –install , –unpack e –avail actions.
-G Não instale um pacote se uma versão mais recente do mesmo pacote já estiver instalada. Este é um alias de –refuse-downgrade .
–admindir =dir Altere o diretório administrativo padrão, que contém muitos arquivos que fornecem informações sobre o status dos pacotes instalados ou desinstalados, etc. (Padrões para / var / lib / dpkg )
–instdir =dir Altere o diretório de instalação padrão que se refere ao diretório onde os pacotes devem ser instalados. instdir também é o diretório passado ao chroot (2) antes de executar os scripts de instalação do pacote, o que significa que os scripts vêem o instdir como um diretório raiz. (Padrões para / )
–root =dir Alterar as alterações de raizinstdir para dir e admindir para dir/ var / lib / dpkg .
-O , – apenas selecionado Apenas processe os pacotes selecionados para instalação. A marcação real é feita com dselect ou por dpkg , quando lida com pacotes. Por exemplo, quando um pacote é removido, ele será marcado selecionado para desinstalação.
-E , –skip-same-version Não instale o pacote se a mesma versão do pacote já estiver instalada.
–pre-invoke =comando –post-invoke =comando Defina um comando de invocação de gancho para ser executado através de “sh -c” antes ou depois da execução do dpkg para descompactar , configurar , instalar , apenas disparadores , remover , purgar , adicionar arquitetura e remover arquitetura ações dpkg . Esta opção pode ser especificada várias vezes. A ordem em que as opções são especificadas é preservada, com os dos arquivos de configuração tendo precedência. A variável de ambiente DPKG_HOOK_ACTION é definida para os ganchos na ação dpkg atual. Nota: front-ends pode chamar dpkg várias vezes por invocação, o que pode executar os ganchos mais vezes do que o esperado.
–path-exclude =glob-pattern –path-include =glob-pattern Define o padrãoglobal como um filtro de caminho, excluindo ou reenviando os caminhos anteriormente excluídos que correspondem aos padrões especificados durante a instalação.
Aviso: leve em conta que, dependendo dos caminhos excluídos, vocêpode quebrar completamente seu sistema, use com cautela.
Os padrões globus usam os mesmos caracteres curiosos usados ​​no shell, se ‘*’ corresponder a qualquer sequência de caracteres, incluindo a string vazia e também ‘/’. Por exemplo, ‘/ usr / * / READ *’ corresponde ‘/ usr / share / doc / package / README’ . Como sempre, ‘?’ corresponde a qualquer personagem (novamente, incluindo ‘/’). E ‘[‘ inicia uma classe de personagem, que pode conter uma lista de caracteres, intervalos e complementos. Veja glob (7) para obter informações detalhadas sobre globbing. Nota: a implementação atual pode re-incluir mais diretórios e links simbólicos do que o necessário, estar no lado seguro e evitar possíveis falhas de desempacota, o trabalho futuro pode consertar isso.
Isso pode ser usado para remover todos os caminhos, exceto alguns em particular; um caso típico é:
--path-exclude = / usr / share / doc / *--path-include = / usr / share / doc / * / copyright
para remover todos os arquivos de documentação, exceto os arquivos de direitos autorais.
Essas duas opções podem ser especificadas várias vezes e entrelaçadas entre si. Ambos são processados ​​na ordem dada, com a última regra que corresponde a um nome de arquivo que toma a decisão.
–verify-formatformat-name Define o formato de saída para o comando –verify .
O único formato de saída atualmente suportado é rpm , que consiste em uma linha para cada caminho que falhou em qualquer verificação. As linhas começam com 9 caracteres para relatar cada resultado de verificação específico, a ‘ ? ‘implica que a verificação não pode ser feita (falta de suporte, permissões de arquivos, etc.)’ . “implica que o cheque passou, e um caractere alfanumérico implica que uma verificação específica falhou; A verificação md5sum é indicada com um ‘ 5 ‘ no terceiro caractere. A linha é seguida por um espaço e um caractere de atributo (atualmente ‘ c ‘ para conffiles), outro espaço e o caminho.
–status-fdn Enviar status de pacote legível para máquina e informações de progresso para o descritor de arquivo n . Esta opção pode ser especificada várias vezes. A informação é geralmente um registro por linha, em uma das seguintes formas:
status:pacote:status O status do pacote mudou; O status é como no arquivo de status.
status:pacote: erro: mensagem de erro estendida
Um erro ocorreu. Todas as novas linhas possíveis na mensagem de erro estendida serão convertidas em espaços antes da saída.
status:arquivo: conffile-prompt: ‘real-old‘ ‘real-newuserediteddesatada
O usuário está sendo questionado com um conffile.
processamento:estágio:pacote
Enviado imediatamente antes da fase de processamento começar. O estágio é um de atualização , instalação (ambos enviados antes da descompactação), configurar , trigproc , desaparecer , remover , purgar .
–status-logger = comando Envie status do pacote legível pela máquina e informações de progresso para a entrada padrão do comando do shell. Esta opção pode ser especificada várias vezes. O formato de saída usado é o mesmo que em –status-fd.
–log =nome do arquivo O status do log atualiza as atualizações e as ações para o nome do arquivo , em vez do padrão /var/log/dpkg.log . Se esta opção for dada várias vezes, o último nome de arquivo é usado. As mensagens de registro são da forma `YYYY-MM-DD HH: MM: estado do estado SS pkgversion instalada ‘para atualizações de alteração de status; `AAAA-MM-DD HH: MM: ação SS pkgversão instalada versãodisponível ‘para ações em que a ação é uma instalação , atualização , remoção , purga ; e `AAAA-MM-DD HH: MM: decisão denome de arquivo conffile SS ‘para mudanças conffile onde a decisão é instalar ou manter .
–no-debsig Não tente verificar as assinaturas dos pacotes.
– Não há gatilhos Não execute nenhum gatilho nesta corrida (as ativações ainda serão gravadas). Se usado com o pacote–configure ou – apenas opacote degadgets, opacote depostinho nomeado ainda será executado, mesmo que apenas um giro seja executado. O uso desta opção pode deixar pacotes nos estados desencadeantes impróprios e aguardados . Isso pode ser corrigido posteriormente executando: dpkg –configure –pending .
–gatilhos Cancela um precedente – não há gatilhos .
Ambiente
home Se configurado, o dpkg irá usá-lo como o diretório do qual ler o arquivo de configuração específico do usuário.
TMPDIR Se configurado, o dpkg irá usá-lo como diretório no qual criar arquivos e diretórios temporários.
PAGER O programa dpkg será executado ao exibir os conffiles.
shell O programa dpkg será executado ao iniciar um novo shell.
COLUNAS Define o número de colunas que dpkg deve usar ao exibir texto formatado. Atualmente, apenas usado por -l.
DPKG_SHELL_REASON Definido por dpkg no shell gerou no prompt conffile para examinar a situação. Valor válido atual: conffile-prompt .
DPKG_CONFFILE_OLD Definido por dpkg no shell gerou no prompt conffile para examinar a situação. Contém o caminho para o conffile antigo.
DPKG_CONFFILE_NEW Definido por dpkg no shell gerou no prompt conffile para examinar a situação. Contém o caminho para o novo conffile.
DPKG_RUNNING_VERSION Definido por dpkg no ambiente do script maintainer para a versão da instância dpkg atualmente em execução.
DPKG_MAINTSCRIPT_PACKAGE Definido pelo dpkg no ambiente de script do mantenedor para o nome do pacote (não arquivado) que está sendo tratado.
DPKG_MAINTSCRIPT_PACKAGE_REFCOUNT Definido por dpkg no ambiente de script de manutenção para a contagem de referência do pacote, ou seja, o número de instâncias do pacote com um estado maior que o não instalado . Desde dpkg 1.17.2.
DPKG_MAINTSCRIPT_ARCH Definido por dpkg no ambiente de script do mantenedor para a arquitetura em que o pacote foi construído.
DPKG_MAINTSCRIPT_NAME Definido pelo dpkg no ambiente de script do mantenedor para o nome do script executado (preinst, postinst, prerm, postrm).
Arquivos
/etc/dpkg/dpkg.cfg.d/[0-9a-zA-Z_-]*
Arquivos de fragmentos de configuração.
/etc/dpkg/dpkg.cfg
Arquivo de configuração com opções padrão.
/var/log/dpkg.log
Arquivo de log padrão (consulte / etc / dpkg / dpkg.cfg (5) e opção –log ).

Os outros arquivos listados abaixo estão em seus diretórios padrão, veja a opção –admindir para ver como alterar os locais desses arquivos.

/ var / lib / dpkg / disponível
Lista de pacotes disponíveis.
/ var / lib / dpkg / status
Status dos pacotes disponíveis. Este arquivo contém informações sobre se um pacote está marcado para remover ou não, seja ele instalado ou não, etc. Consulte a seção INFORMAÇÕES SOBRE PACOTES para mais informações.
O arquivo de status é feito de backup diariamente em / var / backups . Pode ser útil se for perdido ou corrompido devido a problemas nos sistemas de arquivos.

Os seguintes arquivos são componentes de um pacote binário. Veja deb (5) para obter mais informações sobre eles:

ao controleconffilespreinstpostinstprermPostrmgatilhos

Bugs

– não-agir geralmente dá menos informações do que pode ser útil.

Exemplos

Para listar os pacotes instalados relacionados ao editor vi (1) (observe que a consulta dpkg não carrega mais o arquivo disponível por padrão e a opção dpkg-query-load-avail deve ser usada em vez disso):

dpkg -l ‘* vi *’

Para ver as entradas em / var / lib / dpkg / disponível de dois pacotes:

dpkg –print-avail elvis vim |Menos

Para pesquisar a listagem de pacotes você mesmo:

menos / var / lib / dpkg / disponível

Para remover um pacote elvis instalado:

dpkg -r elvis

Para instalar um pacote, primeiro você precisa encontrá-lo em um arquivo ou CD-ROM. O arquivo disponível mostra que o pacote vim está na seção “editores”:

cd / media / cdrom / pool / main / v / vimdpkg -i vim_4.5-3.deb

Para fazer uma cópia local da seleção do pacote, indique:

dpkg –get-selections> myselections

Você pode transferir este arquivo para outro computador e depois de atualizar o arquivo disponível com o gerenciador de pacotes do frontend de escolha (consulte https://wiki.debian.org/Teams/Dpkg/FAQ para mais detalhes), por exemplo:

apt-cache dumpavail |dpkg –merge-avail

ou com dpkg 1.17.6 e anterior:

avail = `mktemp`apt-cache dumpavail>” $ avail “dpkg –merge-avail” $ avail “rm” $ avail “

você pode instalá-lo com:

dpkg – seleções claras dpkg – set-selections <myselections

Observe que isso não vai instalar ou remover nada, mas basta definir o estado de seleção nos pacotes solicitados. Você precisará de algum outro aplicativo para realmente baixar e instalar os pacotes solicitados. Por exemplo, execute o apt-get dselect-upgrade .

Normalmente, você achará que dselect (1) fornece uma maneira mais conveniente de modificar os estados de seleção de pacotes.

Funcionalidade adicional

A funcionalidade adicional pode ser obtida através da instalação de qualquer um dos seguintes pacotes: apt , aptitude e debsums .

Veja Também

aptitude (1), apt (1), dselect (1) , dpkg-deb (1) , dpkg-query (1) , deb (5) , deb-control (5) , dpkg.cfg (5) e dpkg -reconfigure (8) .

Autores

Veja / usr / share / doc / dpkg / AGRADECIMENTOS para a lista de pessoas que contribuíram para o dpkg .

Anúncios