Configurando uma rede para desktops

12 12America/Sao_Paulo março 12America/Sao_Paulo 2018 Off Por Sidney silva santos

Se você se conectar à internet a partir do Linux, Windows, um smartphone ou qualquer outro tipo de dispositivo habilitado para rede, há certas coisas que devem estar no lugar para que a conexão funcione. O computador deve ter uma placa de rede (com ou sem fio), um endereço IP, um servidor DNS atribuído e uma rota para a internet (identificada por um dispositivo do tipo gateway).

Antes de discutir como mudar sua configuração de rede em Linux, vamos examinar as atividades gerais que ocorrem quando o Linux é configurado para se conectar automaticamente à internet com o NetworkManager:

Ativação das placas de rede — O Network Manager procura ver quais placas de rede (com ou sem fio) estão configuradas para iniciar. Por padrão, as placas externas são configuradas para iniciar automaticamente usando DHCP.

Solicitação do serviço DHCP — O sistema Linux atua como um cliente DHCP para enviar uma solicitação ao serviço DHCP em cada placa habilitada. Ele usa o endereço MAC da placa de rede para identificar- se na solicitação.

Obtenção da resposta do servidor DHCP — Um servidor DHCP, possivelmente em execução no modem DSL, modem a cabo ou outro dispositivo fornecendo uma rota para a internet a partir de sua localização, responde à solicitação DHCP. Ele pode fornecer muitos diferentes tipos de informação para o cliente DHCP. Essas informações provavelmente contém, pelo menos, o seguinte:

Endereço IP — O servidor DHCP normalmente tem intervalo de endereços IP (internet Protocol) que ele pode entregar a qualquer sistema na rede que solicita um endereço. Em ambientes mais seguros ou um em que você quer garantir que determinadas máquinas obtenham endereços específicos, o servidor DHCP fornece um endereço IP especial para solicitações de endereços MAC específicos. (Endereços MAC são projetados  para serem únicos entre todas as interfaces de placas de rede e são atribuídos pelo fabricante de cada placa.)

Máscara de sub-rede — Quando o cliente DHCP recebe um endereço IP, a máscara de sub-rede que o acompanha diz a esse cliente qual parte do endereço IP identifica a sub-rede e qual identifica o host. Por exemplo, um endereço IP de 192.168.0.100 e uma máscara de sub-rede de 255.255.255.0 diz ao cliente que a rede é 192.168.0 e a parte de host é 100.

Alocação de tempo — Quando um endereço IP é alocado dinamicamente para o cliente DHCP (Linux), esse cliente recebe um tempo de alocação. O cliente não possui endereço, mas deve alocá- lo novamente quando o tempo expirar e solicitá-lo novamente ao reiniciar a placa de rede. Normalmente, o servidor DHCP vai se lembrar do cliente e atribuir o mesmo endereço quando o sistema for iniciado novamente ou solicitar para renovar a alocação. O tempo de alocação padrão é 86.400 segundos (24 horas).

Domain Name Server — Como os computadores gostam de pensar em números (por exemplo, endereços IP como 192.168.0.100) e as pessoas tendem a pensar em nomes (como o hostname http://www.example.com ), os computadores precisam de uma maneira de traduzir hostnames em endereços IP e, às vezes, o inverso também. O sistema de nomes de domínio (domain name system, DNS) foi projetado para lidar com  esse problema, fornecendo uma hierarquia de servidores para fazer o mapeamento de nome para endereço na internet. A localização de um ou mais servidores DNS (geralmente dois ou três) é geralmente atribuída ao cliente DHCP do host DHCP.

Gateway padrão — Embora a internet tenha um espaço de nomes único, na verdade ela  organizado como uma série de sub-redes interconectadas. Para uma solicitação de rede deixar sua rede local, ela deve saber o nó em que sua rede fornece uma rota para endereços fora de sua rede local. O servidor DHCP normalmente fornece o endereço IP do “gateway padrão”. Com placas de rede na sua sub-rede e na próxima rede no caminho até o destino final de sua comunicação, um gateway pode rotear seus pacotes para o destino.

Outras informações — Um servidor DHCP pode ser configurado para fornecer todo tipo de informação para ajudar o cliente DHCP.

Por exemplo, ela pode fornecer a localização de um servidor NTP (para sincronizar o tempo entre clientes), servidor de fontes (para obter fontes para seu monitor X), servidor de IRC (para bate-papos online) ou servidor de impressão (para designar as impressoras
disponíveis).

Atualização das configurações de rede local — Depois que as configurações são recebidas a partir do servidor DHCP, elas são implementadas conforme apropriado no sistema Linux local. Por exemplo, o endereço IP é definido na placa de rede, as entradas do servidor DNS são adicionadas ao arquivo local /etc/resolv.conf (pelo NetworkManager) e o tempo de alocação é armazenado pelo sistema local, assim ele sabe quando solicitar que a alocação seja renovada.

Todos os passos acima descritos tipicamente acontecem sem que você precise fazer nada além de conectar o sistema Linux e fazer login. Digamos que você quer ser capaz de verificar as placas de rede ou alterar alguma dessas configurações.

Nos próximos posts você irá ver como se faz para fazer  para verificar a placa de rede e as configurações.

Anúncios